Ações da companhia avançam na bolsa após divulgação de detalhes do negócio

Tim calcula que sinergias devem gerar um ganho de R$ 16 bilhões a R$ 19 bilhões (Bloomberg/Alessia Pierdomenico)

As ações da TIM (TIMS3) subiram 1,48% nesta segunda-feira, 25, com investidores analisando os impactos da compra da fatia da Oi Móvel, negócio fechado no dia 20 de abril. 

A companhia realizou teleconferência para apresentar os efeitos da compra. Segundo a TIM, as sinergias comerciais devem gerar um ganho de R$ 16 bilhões a R$ 19 bilhões para a empresa.

“Vemos os números como positivos, pois implicam em risco de alta para nossas estimativas de valorização de valor de R$ 3 por ação e consenso de mercado. Pelos preços atuais das ações, acreditamos que as sinergias do negócio ainda não estão sendo precificadas”, afirmaram, em relatório, os analistas do Santander.

O banco projeta um preço-alvo para a ação de R$ 18, o que representa um potencial de valorização – ou um upside – de 32% em comparação ao valor de fechamento do último pregão, de R$ 13,55.

Os analistas do Bradesco BBI, por outro lado, defendem em relatório que o negócio não deve ter tanto efeito sobre as ações. “Embora a quantidade de sinergias represente uma quantidade considerável do valor de mercado (28% – 38%), acreditamos que o mercado deve incorporar apenas gradualmente o potencial de alta à medida que aumenta a confiança na capacidade de execução da empresa de entregar as sinergias ao longo do tempo”, escreveram.

Ainda assim, o BBI estima um preço-alvo para o papel da TIM de R$ 19, um upside de 40%.

As ações da Vivo (VIVT3), que também participou do consórcio para compra da Oi Móvel, subiram 1,75%, enquanto Oi (OIBR3) recuou 2,35%.

Entenda o negócio

Concretizando o negócio que originalmente foi anunciado em dezembro de 2020, a TIM vai incorporar a participação de 16,4 milhões de clientes na base móvel da Oi, levando a uma receita adicional de R$ 1,8 bilhão e um Ebtida (indicador de geração de caixa operacional) de aproximadamente R$ 1,1 bilhão para os próximos 8 meses do ano (abril a dezembro). 

Segundo a empresa, o principal fator de criação de valor em sinergias – que compreende R$ 12 bilhões a 13 bilhões do total – está relacionado à infraestrutura. A empresa espera, ainda, cerca de R$ 4 bilhões a R$ 5 bilhões provenientes de benefícios de escala, o que deve melhorar as margens com diluição dos custos fixos. Por fim, a empresa mencionou que poderia haver um potencial adicional de aumento de efeitos fiscais (amortização de ágio) e outros, no valor de aproximadamente R$ 1 bilhão.