O desempenho da América Móvil no Brasil em 2012 e os desafios para 2013

O Grupo América Móvil no Brasil formado pela Claro (móvel) e Embratel/Net (fixo) apresentou um bom desempenho em 2012. A receita líquida cresceu 4,6% e o total de acessos 10,2%.

O segmento fixo (Telefonia Fixa, Banda Larga Fixa e TV por Assinatura) apresentou um desempenho melhor que o móvel em 2012.

figura_comentario511xa

Apesar dos celulares representarem 74% dos acessos da América Móvil no Brasil, a quantidade de acessos fixos cresceu 16,7% em 2012, mais que o móvel (8,0%).

figura_comentario511xb

A Claro teve um crescimento menor no 1º semestre de 2012, mas se recuperou no 2º semestre liderando em adições líquidas neste período. Ela tem demonstrado que está disposta a ganhar market share em 2013 e brigar pela liderança em adições líquidas no ano. A operadora saiu na frente na oferta de 4G no Brasil e pretende desta forma reforçar a sua marca como empresa inovadora.

O alto churn apresentado pela Claro desde o 1T11 pode ser um sinal de que a operadora está sendo rigorosa no desligamento de celulares inativos em sua base. Os minutos de uso (MOU) cresceram significativamente nesse mesmo periodo, mas o ARPU da operadora continua baixo.

A outorga pela Anatel de autorização de SeAC para a Net no final de 2012 permitirá a oferta de TV a Cabo em novas cidades. Esta expansão deve ajudar a manter acelerado o crescimento do segmento fixo do Grupo (Embratel/Net) em 2013.

Um desafio importante para o Grupo em 2013 deve ser a melhoria da rentabilidade das suas operações.
A outorga pela Anatel de autorização de SeAC para a Net no final de 2012 permitirá a oferta de TV a Cabo em novas cidades. Esta expansão deve ajudar a manter acelerado o crescimento do segmento fixo do Grupo (Embratel/Net) em 2013.

Um desafio importante para o Grupo em 2013 deve ser a melhoria da rentabilidade das suas operações.

figura_comentario511xc

A queda apresentada na margem EBITDA e EBITem 2012 pode ser mais um fator para pressionar o grupo a realizar uma fusão de suas operações fixas e móveis no Brasil.

Fonte: Teleco