Chance de fusão entre Oi e Tim sobe a 50%

Para liderar esta nova empreitada, é esperado que Amos Genish, atual CEO da Tim global, poderia voltar ao Brasil

Com o avanço do plano de recuperação judicial da Oi (OIBR3) e os últimos capítulos do pagamento dos milhares de credores, as chances de uma fusão com a Tim (TIMP3) subiram para 50% nos próximos 12 meses, avalia a equipe de análise do Bradesco em um relatório enviado a clientes nesta terça-feira (27).

Gostou desta notícia? Receba nosso conteúdo gratuito

Segundo os cálculos de Fred Mendes e Flávia Meireles, os ganhos de sinergia poderiam ultrapassar os R$ 25 bilhões. Uma nova empresa ficaria com 76%, ou mais, para os atuais acionistas da Tim e o controle nas mãos da Telecom Italia.

“Além disso, a situação financeira da Oi continua sendo uma preocupação, exigindo mais caixa do que o aumento de capital de R$ 4 bilhões. Nesse sentido, a Tim seria um negociador mais forte, garantindo uma avaliação muito melhor para as suas operações”, explicam.

O Bradesco estima que esta nova empresa teria uma participação de mercado de 30% na receita e Ebitda no mercado de telecomunicações brasileiro, similar ao da Vivo e Claro. Para liderar esta nova empreitada, é esperado que Amos Genish, atual CEO da Tim global, poderia voltar ao Brasil. Ele foi fundador da GVT e presidente da Telefônica Brasil.

O interesse de empresas chinesas pela Oi também teria ido para o vinagre. “Descobrimos que as negociações entre a Oi e a China Telecom e a China Mobile estão em modo de espera desde dezembro, já que as empresas chinesas fizeram várias exigências antes de investir na Oi, que de alguma maneira eram irrealistas”, pontuam Mendes e Meireles.

Memorando

A Oi e a Tim anunciaram hoje uma “importante etapa” que busca equacionar suas respectivas controvérsias e iniciaar um novo ciclo de planejamento de compartilhamento de infraestrutura, na mesma linha de parcerias que já são praticadas atualmente no mercado de telecomunicação brasileiro, mostra um comunicado enviado ao mercado.

O memorando de entendimento, segundo a nota, foi definido pelos Diretores Presidentes da Oi, Eurico Teles e da TIM, Stefano De Angelis, durante o Mobile World Congress, principal evento mundial do setor de telecomunicações, realizado anualmente em Barcelona.

“A iniciativa fortalece um ambiente propositivo e de colaboração industrial dentro de um contexto de concorrência saudável para o setor de telecomunicações. A Companhia manterá seus acionistas e o mercado informados a respeito de qualquer andamento relevante sobre o tema objeto deste Comunicado”, destacam as duas empresas.